TESTEMUNHOS CRISTÃOS

FUTEBOL, DROGAS E VIOLÊNCIA - TESTEMUNHO DE UM EX-HOOLIGAN

Alô, meu nome é Jean e eu era um hooligan. A realização em minha vida era estragar aquilo que outros haviam construído.

TESTEMUNHO CRISTÃO

Todos sabemos do enorme impacto evangelístico que representam os testemunhos cristãos.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Testemunho: Vida de superação


Walrikson Félix: Jesus, o nosso autor e consumador
de nossas vidas, a ele damos glória louvor e honras. 
Me chamo Walrikson Félix natural de Triunfo Potiguar/RN, e hoje por promessa de Deus estou em Florianópolis/SC, e venho falar um pouco de meu testemunho de vida.

No ano de 1999, com 14 anos de idade, minhas irmãs gêmeas crentes chegavam da igreja com uma empolgação enorme, comentavam como tinha sido aquele culto na noite que se findara, e eu só na escuta, que em mim vinha me envolvendo uma vontade de saber que culto era esse que elas tanto falavam.

Em meio à conversa, elas comentavam que o pastor e sua esposa eram pessoas que refletiam Deus em suas vidas. E isso me deu uma vontade imensa de saber quem eram aquelas pessoas. No dia 8 de dezembro de 1999, saí de minha casa, para ir à igreja, e ao entrar dentro dela fui envolvido com uma paz que percorria aquele lugar, sentei-me no último banco, e quando chegou o término do culto o pastor ao falar com a igreja me pergunta se confesso a Deus, e eu de imediato falei que aceitaria a Ele como meu Senhor. Saí da igreja ouvindo burburinhos em meu ouvido como " você vai se arrepender" ou " porque você fez isso, ainda há tempo" mas não dei ouvidos para isso, e fui pra casa.

Tempos depois minha mãe se converte também, juntamente com meu irmão. Eu e minha casa servíamos ao Senhor. Mas muitas coisas ainda viriam para provar minha fé. Minha mãe acometida de um câncer de mama, esconde a doença e não nos fala, após três anos ela sofre uma queda dentro de casa e foi só o tempo de três meses... Parte para o Senhor.

Nossa família se desestrutura rapidamente. A igreja parece que nos esquece. Nunca imaginei que o diabo queria tragar minha vida, só a misericórdia de Deus para me tirar dessa.

Me afastei da presença do Senhor, comecei a andar no mundo e fazer o que o diabo gosta. Em uma dessas andadas piloto uma moto e saio desesperadamente. Sofro um acidente muito sério. Fraturo a coluna cervical, quebro  a 3° vértebra do pescoço, fico sem comer e beber água por causa da fratura interna no maxilar,  e paralítico por 32 dias.

Dentro do hospital, Deus usa uma de suas servas, que fala que eu ainda iria sair pelo mundo para pregar  o que o Senhor havia feito em minha vida. Saio do hospital, volto a andar depois de quatro cirurgias arriscadas. Hoje tenho duas platinas na 3° vértebra do pescoço.

Em primeiro lugar, agradeço a DEUS, que nos quer na sua presença, me levantou com sua promessa, e aqui estou para falar do seu amor.

Agradeço aos muitos que me ajudaram para que hoje estivesse aqui proclamando o amor de nosso DEUS e muitas outras coisas que ele fez em minha vida.

EM ESPECIAL, QUERO AGRADECER AO MEU AMIGO E IRMÃO EM CRISTO ELISEU ANTONIO GOMES, QUE ABRIU ESTA PORTA VIRTUAL PARA QUE EU FALASSE SOBRE O AMOR DE DEUS EM MINHA VIDA. SEI QUE DEUS VAI TE RETRIBUIR ESTE FAVOR E MUITOS OUTROS QUE FIZESTE, AO QUAL SÓ ELE SABE. RECEBA O MEU MUITO OBRIGADO.

Assista o testemunho completo:

sábado, 17 de junho de 2017

Testemunho de Jim Caviezel, ator do filme A Paixão de Cristo



Testemunho do ator norte-americano James ("Jim") Caviezel, que interpretou Jesus no filme A Paixão de Cristo, de Mel Gibson. Jim estrelou também filmes como O Conde de Monte Cristo, Além da Linha Vermelha, Rota de Fuga e Outlander, dentre muitos outros.

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Liberto das drogas, ele foi de mendigo a diretor de centro de recuperação


Liberto das drogas, ele foi de mendigo a diretor de centro de recuperação esde os 13 anos de idade cativo pela dependência química, Raul Roncada chegou a mendigar, ser morador de rua, sofrer uma overdose e ficar à beira da morte. Para a maioria das pessoas, ele era um caso perdido, mas não para o Deus do impossível, com quem teve um encontro em 1999 e desde então nunca mais foi o mesmo. O cativo se tornou liberto e propagador da liberdade em Cristo. Levando as Boas Novas de salvação, ele ajuda hoje inúmeras pessoas a saírem das drogas. Conheça o testemunho deste servo do Senhor, hoje presbítero da AD em Caxias do Sul (RS), sob a liderança do pastor Daniel Régis Cavalcante. 
Segundo recorda o presbítero, em 1988, com apenas 13 anos de idade, ele começou a frequentar festas de garagens e ouvir rock and roll, se deixando levar pelas letras subversivas e de apologia às drogas. “Nos ambientes das festas, havia uso de drogas e álcool deliberados. De tanto ver as pessoas usarem e querendo me espelhar nos meus ídolos do rock, acabei cedendo. Quis saber o que havia por trás do poder das drogas e nem imaginava o abismo em que estava me jogando”, conta Raul. No início foi cigarro e álcool, e não demorou para que logo viesse a maconha, anfetaminas, chás, barbitúricos, cocaína e até mesmo o crack. Raul foi definhando, tanto em seu corpo quanto em sua mente, no espírito e em todas as áreas de sua vida. Ele conta como um rapaz cheio de talento, perspectivas e boa criação foi parar na sarjeta das ruas da cidade. “No começo, a droga traz uma alegria e paz ilusória, mas a sensação de bem estar e tudo mais logo passam e dão lugar às perdas, aos conflitos internos e ao sofrimento seu e de todos os que te amam e estão ao seu redor. O vício domina você dia e noite. A gente dorme e acorda pensando na droga, sem nenhuma outra expectativa nessa terra. Por isso, você passa a viver só para a droga, larga seus familiares e passa a andar nas ruas com drogados, hippies, andarilhos e até mesmo mendigos. Porque o queimporta é ir onde a droga está. Dormi muitas vezes com frio de 0°C, nas calçadas, mesmo tendo uma casa quentinha me esperando”. Raul conta que sua família adoeceu e foi devastada juntamente com ele ao vê-lo em ruínas e não podendo fazer nada.
Nesses dias de dor, houve um tempo em que a oração de sua mãe era apenas para que ele voltasse vivo para casa, pois cada dia parecia que seria o último de seu filho. Raul andava com calças rasgadas, camisetas com imagens de demônios, largou os estudos, perdeu bons empregos, relacionamentos e até a auto-estima; morou nas ruas e, certa vez, quase morreu de overdose. Mesmo vendo essa total degradação e a sua família desmoronando, ele não tinha forças para reagir. E durante esse processo, ao longo de 10 terríveis anos, foi assistindo amigos morrerem por doenças, overdoses, assassinados, tudo relacionado às drogas. Até que começou a se dar conta de que ele estava sendo arrastado para a morte. “Depois de ter perdido tudo nos 10 anos vivendo no vício, sem esperança, afundado nas drogas, eu encontrei um amigo das ‘antigas’ que era usuário, mas estava diferente, com um brilho no rosto e uma Bíblia na mão. Ele me disse que Jesus havia libertado sua vida de todos os vícios e que agora ele era uma nova criatura em Cristo Jesus. Isso jogou luz e esperança em meu coração”, testemunha o presbítero. 
E neste mesmo dia, esse amigo transformado pelo poder do Espírito Santo orou por ele, que aceitou ir a um centro de recuperação evangélico, chamado “Desafia o Jovem”, na cidade de Três Coroas (RS). “Nos cultos, comecei a entender que Cristo me amava e havia entregado sua vida por mim. Resolvi aceitá-lo como único e suficiente Salvador e Senhor. Foi o dia mais feliz da minha vida! Senti o perdão dos pecados, a paz em meu coração e todo mal saindo da minha vida! Jesus é poder!”, emociona-se. A luta começou com o processo de santificação. Foram 9 meses internado no Centro de Recuperação, reaprendendo a ter horários, trabalho, respeitar regras e principalmente a começar a conhecer o Deus Todo-Poderoso, que lhe guardara todo esse tempo. “Entrar nas drogas é fácil; sair, quase impossível. Só Deus mesmo. Foi difícil, mas cada dia vivendo sem drogas era uma vitória. E a libertação veio à medida que euouvia a Palavra de Deus. Nessequase um ano, eu jejuava, orava, lia a Bíblia e Deus ia me transformando, sepultando o velho homem e fazendo-me uma nova criatura em Cristo Jesus”. 
Raul pediu perdão a toda a sua família e ao acompanharem sua nova vida em Cristo maravilhados, sua mãe e alguns anos depois seu pai também se renderam ao Poderoso Salvador que transformou seu filho de mendigo a um homem de Deus. Assim que recebeu alta, ele se engajou a serviço do Reino e de pacientes do centro de recuperação, tornando-se diretor após anos de serviço integral, ajudando centenas de vidas a serem libertas das drogas, assim como a sua. Hoje, é casado com a irmã Valquíria, palestrante, bacharel em Teologia, atua também em um programa de rádio ligado à Assembleia de Deus, e tudo sempre focado em tirar almas das drogas e inspirar famílias de dependentes químicos a terem fé no Libertador através da sua própria história de triunfo e superação no Senhor.
Mensageiro da Paz - Número 1573- Junho de 2016, CPAD

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Pastor Emerson Pinheiro - Testemunho de cura de leucemia

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

A oração do piloto ateu







De Mark Ellis
Tradução:
Wilma Rejane


Ele não tinha nenhum lugar para Deus em seu coração, até que  ficou sem combustível em uma tempestade no Alasca, a quilômetros de seu destino.

"Eu era um zombador de Deus", diz Mark Rose, fundador do Gênesis vivo , e autor de O Último dos Hunters, a história dos pilotos que voam o Alasca Ártico. Aprendi a voar aos 16 anos e aos 22 já havia me tornado um piloto experiente cuidando de uma frota de helicópteros no oleoduto do Alasca. Meu ego andava a 101 metros além da superfície. Um dia eu voava sobre um grande rio no Ártico, mas em meu voo de regresso, transportando um passageiro, várias coisas deram errado. Primeiro manadas de renas ocuparam os locais escolhidos como primeira e segunda opção de pouso. Então comecei a ficar sem combustível, verifiquei o tempo em um pequeno aeroporto perto de Kotzebue, na Península de Baldwing. O operador disse que eu poderia ir que o tempo estava favorável. 

Resolvi ir mesmo sem saber se o combustível iria aguentar, mas em seguida, o inesperado acontece: as condições climáticas mudaram drasticamente. Enfrentei uma tempestade de neve durante toda a noite sem conseguir ver o terreno, me guiei por uma faixa cinzenta que seria um rio. Descobri então que o operador de voo do aeroporto de Kotzebue tinha me dado um mau conselho.

Todas as minhas opções foram evaporando  rápido, voando. Deve haver uma maneira de sair disso, pensei. Não quero morrer aos 22 anos sem sequer ter casado. Voei no vazio por cerca de 30 minutos quando o motor começou a perder força. Minha mente se voltou então para a última opção: Deus. Eu nunca, jamais tinha orado antes, mas no desespero elevei uma oração silenciosa: 'se há um Deus eu preciso de ajuda agora'. E naquele instante pude ouvir nitidamente a resposta: 'filho, agora você disse a coisa certa'. Depois disso minha mente foi iluminada, eu tinha certeza que conseguiria escapar. O avião saiu da tempestade de neve! Antes o que me atraia eram as luzes do aeroporto de Kotzebue, agora eram as luzes do céu.

Havia apenas mais um problema: eu teria que voar mais 20 milhas até Kotzebue, uma vasta extensão de água salgada no mar de Bering. Foi de perder a respiração. Mas cheguei e quando consegui pousar minha visão humanista de mundo havia desabado. Não havia nenhuma razão terrena para o avião ter percorrido uma distância tão grande seu combustível. Acredito que Deus acrescentou combustível no tanque do helicóptero para salvar minha vida e a vida do passageiro. Depois disso me tornei um menino diferente,  um crente em Deus.

Pensei bastante sobre minha avó, a única cristã da família, ela estava certa, há algo mais lá fora. Conheci então uma namorada cristã que me desafiou a ler a Bíblia pela primeira vez. Ao ler as páginas das Escrituras, algo surpreendente aconteceu. Me rendi ao amor do Deus da Bíblia - a Sua razoabilidade, Seu perdão, Sua justiça. Porém, meu coração teimoso ainda não estava pronto para fazer de Jesus meu Salvador e Senhor.

Até que...Tive outro encontro com a morte em um helicóptero que caiu, minha cabine ficou totalmente esmagada. Por causa disso perdi o encontro com empreiteiros de chumbo para o gasoduto do Alasca, um conflito de agenda. Mas não era só isso, era um dia trágico e pouco depois de ter escapado da morte recebi a notícia de que o avião com os empreiteiros havia caído matando todos a bordo. Comecei a refletir sobre a vida, sobre o que li na Bíblia. Seria mentira ou verdade? E foi quando me aprofundei na leitura da Bíblia que entendi que Deus é meu Criador. Se Jesus pôde levantar alguém dentre os mortos e perdoar pecados era exatamente isso que Ele tinha para mim. Entreguei minha vida a Jesus Cristo, e mais uma vez, de uma vez por todas, eu era um menino diferente. 

Esse é o aviador Mark Rose


Você quer conhecer Deus pessoalmente? 


Jesus é o Filho de Deus. Ele viveu uma vida sem pecados e morreu na cruz para pagar o preço por nossos pecados. "Deus prova o seu próprio amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós." (Romanos 5:8)

Jesus ressuscitou dos mortos e agora Ele vive no céu com Deus Seu Pai. Ele nos oferece o dom da vida eterna - de viver para sempre com Ele no céu se aceitarmos Ele como nosso Senhor e Salvador. Jesus disse: "Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por Mim." (João 14:6)

Deus estende a Sua mão para você, Ele te ama e quer que você seja Seu filho. "A todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome." (João 1:12) Você pode optar por pedir a Jesus Cristo para perdoar seus pecados e entre na sua vida como seu Senhor e Salvador.

Oração:

"Senhor Jesus, eu acredito que És o Filho de Deus. Obrigado por morrer na cruz por meus pecados. Por favor, perdoe meus pecados e me dê o dom da vida eterna. Peço-vos por  minha vida e de coração para que sejas meu Senhor e Salvador. Eu quero servi-Lo sempre. "

Deus o abençoe

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Deus ainda faz milagres

Por João Cruzué

Se você precisa de um milagre em sua casa, vida ou na sua família, leia com atenção estas simples palavras. Milagre é a resposta de Deus a uma situação impossível de se resolver por meios humanos. Mas assim está escrito no Evangelho do Senhor Jesus: "Porque para Deus nada é impossível." Lucas 1:37. O que é humanamente impossível, passa a ser da competência de Deus, se alguém procurar com insistência por sua ajuda.

Para acontecer um milagre é preciso uma ação de sua parte. Vou dar meu testemunho. Enviei currículos durante 11 anos seguidos, em que fiquei desempregado. Até o ponto em que orei assim ao Senhor: "Jesus, durante todo este tempo eu corri atrás, e nada" Se quiseres ainda dar-me um emprego, manda alguém a minha casa para mostrar onde é esta porta. E Deus mandou.

Um dia uma mulher conhecida ligou para minha casa. Como o telefone não atendeu, ela foi lá pessoalmente. Chegou e disse: "Refaz o seu currículo, e vá no Hospital tal, pois lá estão precisando de um contador".

Sabe Deus quantos currículos já tinha refeito, mas fiz de novo. Fui lá, passei pelo processo seletivo e uma semana depois já estava trabalhando.

Eu fico imaginando. Se eu não tivesse refeito, de novo, aquele currículo depois de não sei quantas vezes, talvez hoje eu não estaria trabalhando em um Tribunal de Contas. Sim, porque, na verdade ,o milagre não foram os seis anos que trabalhei no Hospital, mas a bênção muito maior que veio seis anos depois disso: o cargo de auditor no TCE conquistado por concurso público. Nem em sonho eu pensava nisso, depois que os dois anos de validade terminaram. Foi prorrogado, e eu não sabia.

Este é só um exemplo. Não importa que milagre você esteja precisando. Se ainda não é crente, aceite Jesus - que é a porta que nunca está fechada para quem se aproxima dele.

Se já é um crente em Cristo, mas está afastado, volte.

Se tem sido fiel, mas continua passando por grandes aflições, creia que o Senhor vai lhe abençoar com uma bênção tão grande, que nem sequer sonhou.

Porque quem pede, recebe; o que busca, acha; e ao que bate, a porta abrir-se-lhe-á. Pela fé creia: o Senhor vai fazer o milagre que está precisando.

domingo, 13 de julho de 2014

Harris Home For Children: quando um é o suficiente


Por Katie Bivens
Tradução: Eliseu Antonio Gomes

Eu me mudei para Huntsville há pouco mais de um ano. Foi quando comecei a colocar meus pés na comunidade em uma pesquisa, abria meus olhos e ouvidos para encontrar uma maneira de ser útil ao próximo, me encontrei encantada pela quantidade de oportunidades que a cidade tem a oferecer a quem deseja servir.

Existem incontáveis instituições sem fins lucrativos, iniciativas de serviços sociais, pequenas organizações à benfeitoria. Que cidade maravilhosa, fiquei impressionada! Tentei apresentar-me como tutora em programas escolares. Pela grande dimensão, não foi um tempo fácil, mostrando de forma muito consistente o que dificultava a criação de relacionamento com as crianças. Pensei em ser voluntária numa cozinha servindo sopas ou me aventurar trabalhando numa conhecida área de desabrigados. Pensei no voluntariado em uma abrigo de animais, mas isso jamais funcionaria bem comigo, pois a probabilidade maior seria eu tentar adotar os bichinhos e levá-los para minha casa. Nada parecia se encaixar bem em minha busca por uma atividade de servir minha comunidade.

Apesar da ansiedade em encontrar uma ocupação, me esforcei por ser paciente, pois sabia que existia algo em algum lugar, perfeitamente adequado para meu jeito de ser. Na minha procura, uma dessas oportunidades deveria ser tudo para mim. 

Após oito meses pesquisando, encontrei o lugar em que poderia servir fazendo a diferença. A resposta da minha oração era o Harris Home for Children (Harris Lar para Crianças), um lar adotivo e agência cuja missão é encontrar famílias para crianças.

O jeito que eu me deparei com essa instituição foi realmente providencial. Desde que me entendo como gente me vejo com o coração ardente por órfãos, assuntos relativos à adoção e filhos adotivos. Em determinada noite, decidi fazer uma busca no Google. (Nota: a resposta da pesquisa não mostrou claramente a realidade de grupos em lares provisórios). "Orfanatos em Hunsville". A instituição Harris Home for Children foi o primeiro site em tela. Eu cliquei para ler sobre ele e descobri que havia uma página no Facebook, gostei, percebi oportunidades de serviço voluntário, etc. Aproximadamente, cinco minutos depois, uma amiga querida, que me conhecia bem e é conhecedora de minhas inclinações, enviou um texto para mim.

"Olá! Percebi que você clicou "like" na página Harris Home for Children. Meu perfil no Facebook está em conexão com o perfil de Tony McGinnis, o diretor executivo (de uma classe da liderança local). Ele é uma pessoa impressionante. Tenho condições de apresentar você a ele via e-mail. Deseja que eu faça isso? Duh."

Ela enviou e-mails fazendo a introdução. Em seguida Tony fez um convite para uma visita e entrevista a respeito de chances de voluntariado. Fui, visitei, me apaixonei. Ao me sentar à mesa de Tony e ser entrevistada por ele, disse-lhe sobre minhas intenções de ajudar e perguntei qual seria a maior necessidade. Ele me disse que poderia estar ali exatamente do modo como eu era e me envolver o quanto eu desejasse estar envolvida. Ele também me disse que havia algumas vagas abertas no Conselho Administrativo. Ainda não sei se ele estava desesperado por ajuda e abriu as portas para uma garota desconhecida qualquer, ou se enxergou a sinceridade que havia em meus olhos e não quis perder essa oportunidade.

Agora eu sirvo como Secretária do Conselho, Presidente da Comissão de Desenvolvimento e Recursos e como mentora de algumas meninas agregadas ao campus. Estou mergulhada até o pescoço na organização da instituição e não poderia me sentir mais satisfeita do que me sinto.

A Harris Home for Children foi fundada em 1954 pelo casal George e Chessie Harris. A Chessie liderava o início da organização. No começo, cuidava de desabrigados e crianças famintas. Aos poucos, o número de necessitados passou a ser dezenas, e em um dado momento a instituição estava tão cheia que foi preciso usar um tronco de árvore para construir berços aos bebês. A iniciativa do cuidado da primeira criança levou o casal a cuidar de mais de 1200, abrigando todas as idades e etnias em 34 anos de atividades assistenciais.

Simplesmente, começaram com um filho. Mas este começo deu início ao legado que dura mais de 60 anos. 


Agora, a instituição localiza-se na Street Church ao norte de Hunstsville. É a casa de 20 crianças. O número é oscilante, pois a todo momento crianças chegam e vão. Elas vêm por nomeação do Departamento de Recursos, vítimas de negligência ou abuso. A missão da Harris Home é manter um ambiente seguro e saudável para elas, dar condições para que cresçam com condições de encontrarem um futuro promissor, para isso oferece abrigo, atendimento terapêutico e serviços educacionais, simultaneamente.

Apesar de ainda a instituição não ter liberdade para ir às ruas e retirar as crianças desabrigadas que necessitam de cuidados, apenas estar autorizada a receber aquelas que o DHR envia, o propósito da instituição é fornecer espaço para o maior número de necessitados, sair em campo e pôr os pequenos sem-tetos fora das ruas também.

Inexplicavelmente, eu me desmancho de amor pelas crianças, elas variam entre as faixas de 12 aos 20 anos de idade. Quando estou com elas sinto o desejo de me envolver e abraçá-las calorosamente. E muitas vezes eu as abraço. Elas gostam de esporte e atletas, artistas, escritores, músicas. São jovens, infantis. São pessoas que tiveram a infância roubada. A maioria delas, em sua vida de poucos 13 a 17 anos de existência, conheceram a dor mais do que a média de outras crianças que moram em famílias estruturadas. 

Embora tenha a sorte de interagir com cada criança, em algum nível, tive a grande bênção de trabalhar em estreita colaboração com uma garota em particular. Ela é inteligente, às vezes meiga e às vezes mal-humorada. Ela é assim por ser conhecedora da maldade e do lado mais feio deste mundo.

Quando estamos juntas, uso meu tempo para incentivá-la, da melhor maneira possível eu me comporto como se fosse a sua irmã mais velha. Preparo meu coração para esses momentos com ela, estudo maneiras de conversar e dizer-lhe que ela é uma filha de Deus e que seu valor como pessoa é bem mais alto que ela imagina que seja. Mas todas às vezes que os encontros terminam, se apodera de mim o sentimento de admiração pela capacidade que ela tem de me ensinar mais do que eu posso ensinar a ela. Aulas sobre amor, lealdade, confiança. Por muito tempo empreendi esforços para encontrar o modo de ser o diferencial positivo na vida de adolescentes e esta adolescente é que faz essa diferença em minha vida.

Ao pedir a ela para me dizer quantas pessoas se preocupam com seu bem-estar, ela olha para mim e diz: "Eu sei que você tem essa preocupação comigo". Então meu coração se alegra. Nesta alegria eu encontro a certeza que encontrei meu espaço para servir ao próximo.

Meu sonho é grande, quero ser orientadora de todas as crianças que se abrigam debaixo do teto da Harris Home of Children, mas na minha insignificância este objetivo começa com apenas uma delas.

E.A.G.

Fonte: Shattered  http://shatteredmagazine.net/harris-home-for-children-one-is-all-it-takes/ 
Imagens: cortesia Derek Daniel

Katie é colecionadora de canecas de café, direciona jovens à faculdade, é escritora. Mora em Huntsville, Alabamada, EUA, com seu cão beagle e um adorável gato acima do peso. É blogueira, faz postagens sobre o que a fé exige de você.  katiebivens.blogspot.com


Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More